Notícias    

Doação de órgãos, um gesto de amor à vida

Nesta sexta feira, 27, comemora-se o Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos. A data temo objetivo de conscientizar a população em geral sobre a importância de ser doador. Tal prática beneficiará milhares de pessoas que lutam por uma oportunidade de salvar as suas vidas.

Algo que aconteceu com o Luciano Alves Rodrigues, 44 anos, transplantado há 1 ano e 8 meses no Hospital do Rim em São Paulo. Luciano ficou 3 anos e meio na fila de espera realizando as sessões de hemodiálise 3 vezes por semana “Todas as vezes que vinha fazer diálise eu vinha rezando e pedindo para ser abençoado com um órgão. Eu já estava bastante debilitado. No meu caso, foi um doador cadáver. No dia que recebi a ligação do Hospital do Rim foi uma alegria enorme.  Com a ajuda de amigos eu fui para São Paulo e realizei meu transplante que foi um sucesso” disse Luciano

A doação de órgãos é um ato de caridade e amor ao próximo. A cada ano, muitas vidas são salvas por esse gesto generoso. A conscientização da população sobre a importância da doação de órgãos é vital para melhorar a realidade dos transplantes no País. 

Noraildes Rodrigues da Silva Medeiros, 55 anos e há 05 fazendo diálise, é mais uma paciente na lista de espera de um doador. Anos atrás, até foi chamada para um possível transplante, porém, após exames  não foi possível o procedimento devido a incompatibilidade com o doador “minha filha até se dispôs a realizar os testes e ser minha doadora, mas eu decidi não aceitar, pois como temos outros casos na família eu não quero que ela sofra no futuro, assim como eu. Mas peço todos os dias que as pessoas se sensibilizem e pensem com carinho em todos que estão na fila de espera aguardando um órgão. Meu sonho de anos é ter a possibilidade de ser transplantada. Tenho fé e não vou desanimar ou desistir” disse Noraildes.

Valéria Monqueiro, Assistente Social da Nefrocare informou que atualmente são 150 pacientes realizando diálise no Complexo Hospitalar da Santa Casa de Bragança Paulista. Destes, 56 estão na fila esperando um doador, “Temos paciente que há 13 anos aguarda um doador. Neste ano, foram realizados apenas dois procedimentos de Transplante de Rim: 01 doador cadáver e 01 doador vivo. Muito abaixo da nossa expectativa” disse Valéria.

Hoje, no Brasil, para ser doador não é necessário deixar nada por escrito, em nenhum documento. Basta comunicar sua família do desejo da doação. A doação de órgãos só acontece após autorização familiar. Todas as pessoas a partir de seis meses de vida podem ser doadoras, sem limite de idade. Não existem empecilhos para a doação de órgãos, nem mesmo religiosos.

“Agradeço muito a família do doador pela atitude, eles perderam um ente querido, porém, possibilitaram que as minhas duas filhas pudessem ter novamente o pai delas saudável e realizando as atividades do dia a dia.” finalizou Luciano 

 

Como ser doador de órgãos?

De acordo com a legislação brasileira (lei nº 10.211, de 23 de março de 2001), a retirada dos órgãos e tecidos para doação só pode ser feita após autorização dos membros da família.

Para a doação, o doador cadáver deve ter sofrido de morte encefálica comprovada, pois somente assim os seus principais órgãos vitais permanecerão aptos para serem transplantados para outra pessoa.

Pessoas vivas também podem ser doadoras de órgãos, mas apenas aqueles que são consideradas aptas e compatíveis após a avaliação da equipe de transplante.

Veja Mais

ver mais notícias